Read in English

Palavra do Presidente

Comprometimento com o futuro

A nova regulamentação do leasing entra em vigor a partir de janeiro de 2019, mas o debate aprofundado em torno dela é necessário desde já por causa do desafio representado por sua adoção. Em razão disso, o seminário “A Implementação do IFRS 16 no Brasil”, promovido pela ABEL na tarde de 5 de setembro, em São Paulo, foi considerado tão oportuno e estratégico pelos participantes. De maneira geral, eles enalteceram o aspecto de que, pela primeira vez, o mercado pode discutir com profundidade o impacto das novas normas contábeis sobre os negócios e as medidas necessárias para sua implantação.

O IFRS 16 vai melhorar a qualidade das demonstrações financeiras, facilitando sua  comparabilidade, simplificando a contabilidade e, desse modo, dando mais transparência às informações. Esse processo de adoção/ implantação, para ser bem-sucedido, exigirá de todos os agentes envolvidos, especialmente durante a fase de adaptação, o alinhamento de ideias e posições.

Diante da importância do tema e da resposta positiva dos associados, planejamos promover novos encontros para detalhar mais as medidas. O IFRS, afinal, exige um arcabouço institucional – é preciso preparar os profissionais para lidar com a norma. Durante minha apresentação, procurei dar uma visão geral das etapas necessárias para a adoção do IFRS 16, partindo do “onde estamos” em termos de legislação contábil e necessidade de aprimoramentos, para “onde vamos?”, com as mudanças, e “o que será necessário” para a implementação da nova regulação.

Para Otávio Ribeiro Damaso, diretor de Regulação do Banco Central do Brasil, que se declara “admirador” do leasing, por ser uma “ferramenta de crédito que estimula o investimento na atividade produtiva”, as novas normas são uma oportunidade para flexibilizar o arrendamento mercantil e, em consequência, podem contribuir para o crescimento da atividade no País. O coordenador técnico do Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC), Edison Arisa Pereira, ressaltou que não se trata apenas de uma mudança contábil, mas de uma reforma mais ampla, de estrutura patrimonial. Nesta edição especial do “Informativo ABEL”, acompanhe o resumo das palestras e dos debates ocorridos durante o seminário.